Comprar casa: parte 2

Dicas para comprar uma casa nova.

1) Nunca compre uma casa nova com janelas de correr. São más a todos os níveis: insonorização, isolamento térmico, e já disse que eram más?. Estas janelas têm sempre folga de forma a poderem entrar no caixilho, daí terem todos os problemas acima descritos. Em casa mudei destas janelas para janelas oscilo-batente, e reduzi em 90% o consumo energético no Inverno para aquecer a casa… pois é…

Se tem janelas de correr esqueça, ou ponha no orçamento a mudança para umas Janelas a sério (sim com J maiúsculo)

2) Quartos para um lado, cozinha para o outro… A nossa cozinha e a cozinha dos vizinhos também… Veja a planta. Se um dos nossos quartos faz fronteira com a cozinha do vizinho, esqueça… Não há nada mais saudável do que alguém a lavar pratos às 2h da manhã…

3) Ar condicionado- Até agora no meio de tanta treta que ví de apartamentos de “luxo”, construcção “superior”, classe energética “A”, só um, e só um (!!!!!) tinha o ar condicionado devidamente bem montado em cima de cinoblocos de forma a reduzir/eliminar o ruído sonoro e vibratório…. mas encostado a uma parede do quarto…. Se a casa tem ar condicionado que esteja montado de preferência do lado oposto dos quartos, e os dos vizinhos também…

4) Áreas mortas: Não se deixe enganar com suítes de 25m2, quarto de 16m2, etc… Na maior parte dos casos a área do roupeiro e das casas de banhos estão incluídas, pelo que uma suíte de 25m2 é de repende um quarto de 13m2 de área REALMENTE útil….

Se está mesmo interessado no andar, peça a planta, e desenhe à escala a mobília, e vê logo o que pode meter ou não no quarto….

5) Localização: Apartamento de “luxo”, mas ao pé de uma avenida de grande tráfego, ou estádio de futebol… No primeiro caso até tem janelas oscilo-batentes com vidros duplo à prova de ruído, e bombas nucleares, mas não se podem abrir… senão ninguém se ouve dentro de casa. Estamos em casa, mas não podemos abrir as janelas… logo ar condicionado, lindo!!! 🙂

Ao pé do estádio de futebol, bem, só para fans… Pois temos estacionamento selvagem, pancadaria, barulho, etc…

Ao pé de vias rápidas, é para esquecer, barulho 24h por dia, com os fans do xuning que só dormem de dia… Uma das casas até tinha vidro triplo(!!!!!), mas não se pode abrir a janela…

Comprar casa: parte 1

Comprar casa em Portugal é uma aventura…

Antes de nos metermos em tal aventura é preciso saber em que nos vamos meter, e principalmente saber o que vamos comprar. Na maior parte dos caso, vamos comprar uma espelunca a preços de palácios… já que a maioria dos patos bravos, nem sabe o que anda a fazer… Mas adiante.

Antes de comprar é preciso determinar aquilo que estamos disposto a gastar e o esforço que pretendemos suportar contando com as subidas de taxas de juros, spreads e custos associados.

1ª regra) Definir dois tectos: um tecto de valor ideal e um tecto o qual nunca iremos ultrapassar em termos de valor. Não queremos passar o resto da nossa vida endividados…

2ª regra) Ao valor do primeiro tecto, temos de adicionar todos os custos que vamos suportar pela compra, ou seja o IMT,  o valor das escrituras, os impostos de selo, etc. Se a soma destes valores ultrapassar o segundo tecto, é melhor baixar o valor do primeiro…

Por exemplo se quiser comprar um andar de 200 mil euros, na prática vou ter que desembolsar cerca de 220 mil euros com os impostos… Mas mesmo assim a maior parte das pessoas assina de cruz, porque acha que o andar é óptimo, e está em conta, mas depois com os impostos, a coisa fia mais fino, e de uma prestação de 500€ mês passam para uma de 600€…. porque se esqueceram dos impostos.

3ª regra: Nunca, mas nunca, compre um andar do qual não sabe qual é o valor patrimonial, ou pelo menos aproximado. Arrisca-se a uma supresa BRUTAL… (Há que diga que é roubo…)

Se o Valor Patrimonial do apartamento de 200 mil euros, for 200 mil euros, pelo menos em Lisboa significa que irá ter de pagar cerca de 1400 euros por ano em IMI… Ou seja o empréstimo de 500/600 euros já leva com mais 110 euros em cima por mês. Este imposto é insidioso porque só aparece duas vezes por ano, e lá se foi o subsídio de férias directamente para a Câmara (seja ela qual for).

Por isso informe-se muito bem:

Determine o factor base para o cálculo do Valor Patrimonial aqui: http://www.e-financas.gov.pt/SIGIMI/default.jsp

Calcule apróximadamente qual o valor patrimonial da habitação aqui: http://www.e-financas.gov.pt/SIGIMI/calculos.jsp?selTipPre=0&radFraPro=on&selTipAfe=2&txtValCons=609%2C00&txtCoeLoc=&txtIdade=&inpCQC=OUT&txtQuaConsOut=0&txtEstDefCons=0&txtLocOperRelAfecOutros=0&txtLocOperRelMin=0&txtAreBruPriFra=&txtAreTot=&txtAreTerIntFra=0&txtAreImpEdi=&txtAreBruDepFra=0&txtTotAreTerIntFra=0&txtPerFra=&inpEstado=

E veja quanto é que pagará de IMI aqui: http://www.millenniumbcp.pt/Simul/ContribuicaoAutarquica/ContribuicaoAutarquica.jhtml

Assustado?

Utilize os simuladores dos vários bancos para determinar o que pagará em termos de custos associados. Um bastante bom é o do banco BPI, embora os valores finais, impliquem que tenhamos comprado todo o tipo de produtos ao banco… Mas serve de exemplo.

4ª regra) Faça duas contas: Preço do andar a dividir pela área útil  e Preço do andar a dividir pela área bruta (inclui arrecadações, varadas, estacionamentos, etc).

Tem um valor? Vá comparando com o que for vendo. Um andar mais barato em termos totais pode ser mais caro por m2…

5ª regra) Mesmo em tempo de crise, a maior parte dos constructores, está a contar com o ovo no dito cujo da Galinha. Assumem que os bancos emprestam a 50 anos de forma a cobrir os preços exorbitantes que pedem…

Azar. Não se deixe enganar. Se comprar um andar ao lado, mais pequeno 20m2, mas mais barato 50 mil euros, a diferença paga o IMI durante anos… Faça estas contas e fique a ganhar…

6ª regra) Siga o conselho que um constructor me deu. Se quer barato e bom, não é comigo é em Odivelas(???). O certo é que agora nunca lhe comprarei nada… Tal vai a arrogância…

Segue na parte 2…